Como criar uma estratégia de conteúdo baseada em dados?

A estratégia de conteúdo precisa ser baseada em dados. Mas como ter sucesso nessa prática? Confira as nossas dicas!
estratégia de conteúdo

O estudo “The Digital Universe in 2020: Big Data, Bigger Digital Shadows, and Biggest Growth in the Far East”, produzido pela Dell EMC e divulgado pela McKinsey, aponta que, durante o ano de 2020, a internet disponibilizará 40 trilhões de gigabytes em dados. Para as empresas, essas informações são uma mina de ouro. Porém, sem uma estratégia de conteúdo baseada em dados, elas não passam de um simples número.

Neste artigo, explicaremos como utilizar essa fartura de dados de um modo estruturado e eficiente. Mostraremos também quais são as melhores ferramentas para direcionar os dados a ser utilizados em uma estratégia de conteúdo. Acompanhe!

Qual é o segredo de uma eficiente estratégia de conteúdo baseada em dados?

Muitas organizações brasileiras estão percebendo o valor do marketing digital. De acordo com a “Pesquisa Digital AdSpend 2019”, os investimentos em mídias digitais no Brasil ultrapassaram a marca dos 16 bilhões de reais. Isso significa que 33% do capital injetado em mídias é direcionado ao digital.

Embora sejam números impressionantes, o retorno sobre esse investimento pode não ser na mesma medida. Como assim? Sem uma estratégia de conteúdo baseada em dados, o marketing digital é como “um tiro no escuro”.

Sendo assim, o resultado final de uma campanha fica seriamente comprometido. Mas como acertar na estratégia de dados para produzir conteúdos relevantes? Vejamos alguns fatores importantes.

Entenda seu público-alvo

Para garimpar os dados certos, é essencial conhecer o público com que a empresa deseja comunicar-se. Fazendo assim, o conteúdo produzido terá informações, linguagem e formatos compatíveis com o perfil dos consumidores ideais.

Para isso, é necessário criar a famosa persona que representará o público durante a construção da estratégia de conteúdo. Tal persona reúne dados reais sobre:

  • comportamento;
  • características demográficas;
  • motivações;
  • objetivos;
  • desafios;
  • preocupações;
  • histórias pessoais.

Como conseguir essas informações? Existem vários caminhos, mas é sensato começar pesquisando os clientes que já estão na base do negócio. Afinal, eles são um reflexo do tipo de público que a marca atrai. Durante essa análise, considere:

  • Quais artigos tiverem o maior número visualizações?
  • Que postagem na rede social obteve mais interações?
  • Qual é a mídia que recebe o maior volume de visitantes?

As respostas obtidas com essas perguntas e as informações vindas com a pesquisa sobre perfil do público serão o pontapé inicial para o sucesso do conteúdo criado por meio dos dados.

Determine objetivos

Não é inteligente construir uma estratégia de conteúdo focada em dados sem antes determinar objetivos ou metas. Caso isso aconteça, todo o trabalho feito na fase de criação da persona pode não surtir efeito. Mas quais são alguns objetivos que podem ser atingidos? Por exemplo:

  • geração de leads;
  • reconhecimento da marca;
  • engajamento;
  • aumento de tráfego orgânico.

Conseguiu entender a ligação entre metas e análise de dados? Se não, vamos explicar melhor. Se o objetivo da marca for gerar engajamento, o conteúdo será produzido com esse fim, correto? Então, depois de publicado, a empresa colherá informações para entender se houve ou não engajamento do público.

É nesse momento que se usa uma importante ferramenta do marketing digital: o KPI (indicador-chave de desempenho). Nesse caso, o KPI principal é o engajamento. Já os secundários, que dão base para o entendimento do principal, podem ser as curtidas, os comentários e os compartilhamentos de um artigo ou postagem.

Analise a concorrência

Outra tática eficiente é ficar de olho na concorrência. Mas por que é importante “espiar a grama do vizinho”? Uma das razões é entender que tipo de conteúdo as empresas do setor estão produzindo e quais estratégias apresentam resultados positivos ou negativos.

Já um segundo motivo é adaptar as boas práticas externas de produção de conteúdo aos moldes do seu negócio.

Por exemplo, digamos que um concorrente vem obtendo sucesso com webinars voltados para assuntos que interessam ao público-alvo. Como essa empresa pertence à mesma área comercial e tem o mesmo perfil de consumidor, não seria esse um formato de conteúdo a ser utilizado?

Entendeu como funciona? O benchmarking serve como uma pesquisa de dados sobre concorrência e clientes, direcionando assim a estratégia de conteúdo.

Foque nas tendências

Observar as tendências da persona no mundo digital é uma rica fonte de dados para a produção de conteúdo. O objetivo dessa prática é identificar padrões de comportamento, como:

  • assuntos que mais engajam o público-alvo;
  • tópicos em alta no mercado em que a empresa atua;
  • dias e horários de maior interação;
  • épocas do ano que registram picos de visitas.

Quais são as melhores ferramentas?

Para otimizar a coleta de dados, a tecnologia disponibiliza uma série de ferramentas úteis. O ideal não é adotar todas, mas escolher a que se compatibiliza com o modelo do negócio e com a equipe interna, além de suprir as necessidades da estratégia de conteúdo. Entre as melhores aplicações virtuais, estão:

  • Google Trends – permite a coleta de dados sobre tendências de busca de usuários da internet. É interessante focar nos trending topics da ferramenta, pois revelam os temas que estão causando o maior alvoroço na audiência digital.
  • SEMrush – uma das ferramentas dignas do pódio das melhores aplicações de avaliação do marketing de conteúdo. Além de analisar palavras-chave, o SEMrush revela como está o desempenho do site da empresa e da concorrência.
  • Google Analytics – essa aplicação é bem completa. O foco dela está em análise do tráfego do site, perfil dos visitantes e o comportamento do usuário em relação ao conteúdo publicado pela marca.
  • Power BI – uma aplicação de business intelligence da Microsoft que conecta e modela dados, bem como produz relatórios com base nos KPIs definidos pela empresa.
  • Hootsuite – ótima ferramenta para monitorar e coletar dados das principais redes sociais da internet. Por meio dela, é possível também gerar relatórios e atribuir tarefas para o time de marketing.
  • Google Search Console – ideal para analisar o desempenho do blog. Uma das funcionalidades permite entender quais buscas levaram o usuário até a página da marca.

Sem dúvidas, a estratégia de conteúdo baseada em dados é muito diferente dos “achismos”. Pelo contrário, esse processo sinaliza o percurso mais curto e viável para atingir o sucesso do marketing digital. Dessa forma, a empresa economiza tempo e recursos valiosos.

O que achou de nosso artigo? Entendeu como criar uma estratégia de conteúdo baseada em dados? Sua empresa já possui esse tipo de estratégia? Se quiser se aprofundar no universo do marketing digital, acompanhe os artigos publicados no blog da PostSpot!

Compartilhe com seus amigos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Deixe seu comentário

COVID-19: Dicas para ajudar seu negócio a atravessar tempos de crise. Saiba mais.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site, plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a PostSpot a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.