Como entender o seu cliente por meio da Buyer Persona

Qual é o perfil do consumidor atual? Como a Buyer Persona pode ajudar a entender as necessidades do seu público-alvo? Mostramos neste artigo!
Como entender seus clientes por meio das personas - PostSpot

Há tempos, os consumidores continuam a adquirir produtos e serviços. Porém, em especial nas últimas décadas, o comportamento dos clientes mudou radicalmente. Antes, a fabricação em massa entregava lotes de itens idênticos, padronizando as pessoas. Esse cenário mudou. Agora, o consumidor adquiriu “voz” própria e é chamado de Buyer Persona.

Entendendo o perfil do consumidor moderno

A transformação nos hábitos de compra do consumidor moderno é “fruto” do desenvolvimento de novas tecnologias. Para citar apenas um exemplo, pense nos dispositivos eletrônicos móveis – os famosos smartphones. Esses aparelhos possibilitaram o acesso à internet, as redes sociais e o progresso dos aplicativos.

Com isso, as empresas conseguiram expor seus produtos com mais facilidade e o cliente passou a ter em mãos o poder de escolha. Bastando um clique para aceitar ou negar uma oferta comercial. Diante desse empoderamento do consumidor, as organizações começaram a repensar as suas estratégias de marketing.

O grande desafio é: como atrair e fidelizar um cliente que tem várias opções de compra? A resposta veio por meio do software baseado no big bata e na inteligência artificial. Essas tecnologias fornecem “pistas” sobre os desejos e as necessidades dos consumidores.

Ao analisar todos esses dados, os times de marketing das organizações perceberam a necessidade de se reinventar. E notarem que para falar “o idioma” dos clientes modernos seria preciso personalizar produtos e serviços.

A importância da personalização

Essa nova forma de se relacionar com o público-alvo é descrita no livro “Personalizando produtos e serviços – a nova fronteira da competição dos negócios”, do autor B. Joseph Pine II. Que inclusive falou sobre esse assunto em uma incrível palestra do TED.

Joseph Pine fala sobre o que os consumidores querem

Ele ressaltou que o segredo para conquistar o coração dos consumidores está na oferta on demand, ou seja, criar um produto feito sob medida, como se fosse uma encomenda solicitada pelo cliente. Fazendo dessa forma, a empresa oferece um valor e uma experiência única, além de autenticidade.

A consequência dessa prática é o encantamento dos consumidores pela marca. Por outro lado, a empresa não fica refém da competição acirrada da concorrência por preço de produtos. Uma vez que, a customização é um verdadeiro serviço que agrega valor natural ao item e conduz o cliente a pagar por isso.

Definindo o conceito de Buyer Persona

Fica bem claro que as empresas atuais não podem olhar para os clientes de forma genérica, mas atentando-se para as suas necessidades individuais. Por isso, o melhor modo de atingir esse objetivo é por meio do conceito Buyer Persona. Mas o que isso significa? Vamos explicar!

Esse termo em inglês refere-se à criação de um personagem fictício com base na etnografia de pessoas reais com características psicológicas, qualidades, comportamentos e desejos bem semelhantes. Vários aspectos são utilizados para definir uma Buyer Persona, como:

  • idade;
  • frustrações;
  • desafios;
  • hobbies;
  • estilo de vida;
  • mídias que utiliza etc.

Pode-se construir vários perfis de consumidor para um mesmo produto ou serviço, mas é importante que representem um grupo significativo de clientes com potencial de compras e forte influência nos objetivos comerciais da empresa.

A partir daí, a equipe de marketing recebe as informações de cada perfil e começa a montar a estratégia de divulgação de um produto ou serviço. Em contrapartida, novos modelos de itens ou negócios são produzidos para atender os anseios da Buyer Persona.

Qual é o resultado desse planejamento? Acontece a “mágica” falada no TED do B. Joseph Pine II e comprovada por empresas fenomenais como a Disney: proporcionar experiências únicas e marcantes para os clientes!  

“Desenhando” o perfil do público-alvo

Antes de tudo, é importante não pular dois passos: a definição do público-alvo e do ideal customer profile (cliente ideal). O primeiro caso envolve o recorte comportamental, socioeconômico e demográfico de um grupo de consumidores. Os fatores para essa pesquisa são mais abrangentes, como:

  • formação educacional;
  • localização;
  • poder aquisitivo;
  • classe social.

Quer um exemplo? O público-alvo pode se compor de mulheres, entre 40 e 45 anos, com nível superior, residentes no Rio de Janeiro, pertencentes a classe A e apaixonadas por designe de interiores.

Entretanto, o cliente ideal é o refinamento do público-alvo. Dessa forma, a empresa reconhece os consumidores que são engajados com a marca, se identificam com o negócio, reconhecem os benefícios dos produtos e serviços e os consomem com regularidade. Alguns parâmetros para essa identificação são:

  • frequência de compra;
  • potencial de recomendação do produto ou serviço;
  • ticket médio.

Só para exemplificar: mulheres na faixa de 40 anos que gostam de inovar a decoração dos ambientes internos da casa, localizadas na zona sul do Rio de Janeiro, gastam em média 2 mil reais trimestrais com decoração e vivem nas mídias sociais em busca de novidades.

Documentando a Buyer Persona

Agora chega a etapa da documentação da Buyer Persona. Para fazer essa definição, é essencial selecionar pessoas e fazer pesquisas de opinião ou entrevistas. Por meio das redes sociais, pode-se encontrar consumidores que tenham as características do seu cliente ideal.

Depois de escolher as pessoas, crie perguntas com base nos fatores já citados para construção de Personas. Por fim, convide-as para responder a pesquisa e ofereça recompensas para estimular a colaboração.

Após reunir todos os dados necessários, é o momento de aplicar os 5 rings of buying insight for buyer personas, ou em português, 5 anéis dos insights de compra. Esse método é divido assim:

1. Iniciativas prioritárias

Essa análise envolve descobrir o que leva os potenciais clientes a consumirem os produtos e serviços oferecidos pela concorrência ou por sua empresa.

2. Fatores de sucesso

Um questionamento importante nesse quesito é o que o cliente espera ao adquirir um item. Em outras palavras, que necessidades ele deseja suprir com a solução oferecida pela empresa.

3. Barreiras

Mesmo querendo comprar um produto, o cliente pode não escolher a solução da sua organização, concorda? Por isso, é preciso identificar as barreiras ou objeções que impediriam o consumidor de fechar negócio com a sua empresa.

4. Processo de compra

O quarto anel revela detalhes sobre o que impacta o comprador durante a sua jornada de compra. Por exemplo, o que pesa mais no momento da escolha enquanto avalia as opções disponíveis?

5. Decisão

Quais aspectos relacionados aos produtos e serviços são cruciais para fechar um negócio? Seria o preço, uma particularidade do item ou o atendimento personalizado da empresa? O que levou o cliente a optar pela concorrência?

Certamente, conhecer bem o seu cliente é a melhor estratégia que uma empresa pode ter.  Para aprofundar os seus conhecimentos sobre Buyer Personas, indicamos o livro “What Consumers Really Want: Authenticity”, do aclamado escritor, B. Joseph Pine II. Boa leitura!

Compartilhe com seus amigos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Deixe seu comentário

COVID-19: Dicas para ajudar seu negócio a atravessar tempos de crise. Saiba mais.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site, plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a PostSpot a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.