Guia de SEO: Como conquistar as primeiras posições nas buscas

Guia de SEO: Como conquistar as primeiras posições nas buscas

O termo SEO (Search Engine Optimization, em português: otimização para mecanismos de busca) dispensa apresentações, pois já faz algum tempo que foi registrado e definido no vocabulário dos profissionais de marketing digital. 

O que precisa de explicação são as práticas de SEO, que estão em constante mutação em razão de outro famoso personagem das buscas na internet, conhecido como algoritmo. É esse mecanismo que estipula quais resultados serão apresentados para os usuários durante as pesquisas.

O grande dilema dos profissionais do marketing digital é entender os requisitos de SEO que fazem o algoritmo preferir uma página a outra. Dessa forma, são alcançadas as primeiras posições no site de busca Google.

Neste artigo, vamos compartilhar os segredos para ranquear com sucesso no Google. Falaremos sobre novidades, dicas e algumas estratégias eficientes. Confira os próximos tópicos!

Quais práticas de SEO ajudam a conquistar as primeiras posições nas páginas de busca?

Vejamos agora um passo a passo para o sucesso de um site nas páginas de busca.

Entenda o comportamento dos usuários

O Google está focado na experiência do usuário. O buscador mais popular do mundo trabalha para ajudar as pessoas a encontrar rapidamente a melhor resposta.

Um dos resultados desse direcionamento é possibilitar ao usuário obter as informações que procura sem precisar entrar em uma página ou site. São as chamadas “respostas prontas”. Elas são vistas, por exemplo, nos featured snippets (caixas de respostas) da base de conhecimento do Google, o knowledge graph.

Diante disso, entende-se que os usuários estão encontrando o que procuram fora dos sites e blogs, ou seja, na própria página de resultados, ou search engine results page (SERP). De acordo com uma pesquisa apresentada no site SparkToro, só nos dispositivos móveis, essa busca sem cliques aumentou de 33,41% para 61,03% do total de pesquisas em dispositivos móveis entre 2015 e 2018, e de 28,43% para 34,28% no desktop.

Amplie a visão da estratégia do marketing digital

Mas será o fim da produção de conteúdo para os sites? Não!

Essa estratégia ainda é um dos principais pilares do marketing digital. Na verdade, o que acontece é uma ampliação da visão da empresa em relação à experiência do usuário. Se antes o foco era cuidar somente dos dados internos do site, agora é necessário observar as informações externas sobre a marca. Essa nova fase é conhecida como on SERP SEO (ou SEO nas páginas de resultados).

Sendo assim, é importante que as marcas façam uma busca para entender o que os clientes, sites, empresas e usuários das redes sociais estão falando sobre os seus produtos e serviços. Desse modo, pode-se entrar em ação para melhorar a reputação e a visibilidade do próprio site. O resultado será o aumento do tráfego vindo de outras fontes, em vez de somente pelo blog.

Implante o E-A-T

Recentemente, o Google revelou em um artigo que o E-A-T é um importante direcionador do algoritmo. Mas o que significa essa sigla? Uma explicação mais profunda está no documento publicado pela própria empresa: o Quality Raters Guidelines (QRG), em tradução livre, Diretrizes de Avaliadores de Qualidade.

O E-A-T engloba três requisitos que mensuram quais páginas devem figurar no topo dos resultados de busca, sendo:

  • “E” expertise (nível de conhecimento)
  • “A” authoritativeness (autoridade)
  • “T” trustworthiness (confiabilidade)

Essa é a trinca que aponta para um site de qualidade.

Segundo uma entrevista dada por Ben Gomes (vice-presidente do Google) ao portal de notícias CNBC, essas diretrizes de qualidade apontam para o lugar em que os algoritmos de busca devem ir. Então, vamos lá. Trocando em miúdos, um site nível E-A-T precisa ter:

  • conteúdos produzidos por profissionais que entendem do assunto – expertise;
  • ser renomado ou uma autoridade no mercado em que atua – authoritativeness;
  • e obter a confiança do público – trustworthiness.

Aposte no conteúdo visual

As plataformas visuais (Facebook, YouTube e Instagram) estão em destaque. De acordo com um estudo feito pela Cisco, em 2021, os vídeos na internet chegarão a 82% do tráfego global.

De fato, as pessoas estão em busca de conteúdos de consumo fácil e rápido. Esse comportamento, por sua vez, molda o algoritmo dos buscadores on-line. Portanto, a produção de conteúdo visual é uma boa estratégia para a marca figurar na SERP.

Podemos ir mais além e afirmar que é essencial a implantação de um marketing de conteúdo visual. A criação de vídeos, infográficos, imagens, fotos e GFIs se faz necessária. Além disso, esses materiais visuais devem ter textos descritivos, legendas e títulos com boas práticas de SEO para que os “robozinhos” do Google os identifiquem com mais facilidade.

Como exemplo dessa tendência, vale citar o recurso Google Lens. Com essa ferramenta, os usuários escaneiam um objeto qualquer com a câmera de um dispositivo eletrônico e o Google se encarrega de apresentar as informações desejadas. Então, se o seu blog tem, por exemplo, um infográfico que fale sobre os benefícios do objeto pesquisado, o conteúdo poderá ser encontrado facilmente pelo usuário.

Otimize a produção de conteúdo

Embora o SEO seja direcionado pelas mudanças constantes nos algoritmos (e houve muitas, como as versões Penguin, Beija-flor e Panda), existe um fator que permanece inalterável na política do bom ranqueamento: a produção de conteúdo relevante para o blog ou site. Essa é a dica de ouro!

Ressaltamos isso porque de nada adiantará investir nas estratégias apresentadas acima sem antes produzir material atualizado, original, autêntico e com dados corretos. Afinal, um conteúdo de qualidade conquista a atenção dos leitores, é compartilhado nas redes sociais e valorizado pelo Google.

Atreladas a essa prática devem estar as estratégias de backlinks (links entre sites) e link building (rede de links para uma página). Essa dupla contribui para que os conteúdos sejam referenciados por outros sites renomados. Dessa forma, o Google entende que a página se origina de uma marca conceituada no mercado em que atua.

Especificamente o link building permitirá a produção de guest posts (artigos produzidos entre parceiros, quando uma empresa ou pessoa pública em um site ou blog que não o seu) e da implantação do co-marketing (marketing compartilhado entre marcas distintas).

Essas práticas aumentam a menção e o número de links ao site na internet. Também permitem a parceria com influenciadores digitais, além da criação de uma assessoria de imprensa voltada para a divulgação da marca nas redes sociais.

Com certeza, os algoritmos continuarão modificando as técnicas de SEO e fazendo girar o universo do marketing digital. No entanto, o foco na experiência do usuário, embasado em estratégias para a produção de conteúdo de qualidade, é o que continuará a fazer diferença entre estar na frente ou atrás na lista de posições do Google.

Gostou do nosso guia de SEO? Então apreciará os próximos conteúdos incríveis que publicaremos aqui no blog, é só acompanhar! Aproveite para seguir a PostSpot no FacebookTwitter, Instagram e Linkedln.

Compartilhe com seus amigos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Deixe seu comentário

COVID-19: Dicas para ajudar seu negócio a atravessar tempos de crise. Saiba mais.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site, plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a PostSpot a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.