Storytelling: como criar narrativas que cativam seu público?

Criar conteúdo que cative e engaje sua persona de modo único é um desafio. Uma técnica utilizada para vencê-lo é o storytelling. Confira o artigo.

Para você que já sabe inglês, talvez não veja nada de mais no termo storytelling. Talvez pareça apenas mais uma buzzword do momento. Afinal, o ato de contar histórias, em si, não é nenhuma novidade. Pelo contrário, é uma das artes mais antigas que envolvem a comunicação humana. A diferença está na forma em que você o utiliza em sua estratégia de conteúdo.

O storytelling é uma técnica essencial para fazer com que os clientes se engajem com seus conteúdos. Saber como contar uma boa história pode ser aquilo que falta para estabelecer uma conexão forte com seus clientes. Confira, a seguir, o que é o storytelling e como colocar esse conceito em prática!

O que é storytelling?

Storytelling, como vimos, é o ato de contar histórias. As histórias existem para conectar e fazer com que pessoas aprendam lições e conceitos de forma mais fácil. Não importa se é um conto de fadas ou um filme blockbuster de super-heróis. Toda história tem, em sua essência, um ensinamento. Em produção de conteúdo, é igualmente necessário saber como criar uma boa história.

O engajamento entre o cliente e seu conteúdo não surge do nada. Estabelecer uma boa narrativa, fazer com que a persona se identifique com o contexto, tudo isso faz parte do storytelling.

É preciso transportar sua audiência para os personagens e o contexto do que está sendo apresentado. Somente assim, é possível desenvolver o engajamento com o produto ou serviço de seu cliente. Anúncios podem ser chamativos e atraentes e são parte importante das estratégias de marketing digital, mas a história é o que pode cativar e conquistar de vez a persona.

O storytelling permite que a marca vá além do universo corporativo e se torne mais próxima. Fazer com que sua marca seja fonte de boas histórias faz com que a empresa se torne mais humana.

Exemplos de storytelling bem implementados

Seria impossível citar cases de storytelling de grandes marcas sem lembrar da Apple. Note o clássico comercial referenciando a obra 1984, por exemplo. Com o storytelling da Apple, o lançamento do Macintosh torna-se a salvação para um mundo sem inovações tecnológicas.

Apple 1984 Super Bowl Commercial Introducing Macintosh Computer.

O uso de storytelling também é amplamente presente nas campanhas publicitárias da Coca-Cola. Ela não precisa educar seu público sobre as características do refrigerante. A Coca-Cola está associada à amizade, diversão, amor, mágica e mundos de fantasia. São histórias que inspiram as pessoas e geram valor para a marca (principalmente no Natal).

O raciocínio de storytelling permite que as marcas exponham sua essência e posicionem claramente sua mensagem. Quando a Volkswagen resolveu fazer um de despedida da Kombi, não se tratou apenas de uma homenagem. A marca fez uso do storytelling para literalmente contar a história do produto, mostrando como a Kombi fez parte das vidas das pessoas.

Histórias, quando bem contadas, chamam a atenção. Quando se produz conteúdo, é muito importante saber como despertar a curiosidade do seu público. Por isso, o storytelling é a receita que faz com que o conteúdo não seja só mais uma informação avulsa e efetivamente cative as pessoas.

Como construir um storytelling em seu conteúdo

Não existe um modelo pronto para utilizar o storytelling no Marketing de Conteúdo. Mas é possível partir dos elementos básicos que podem transformar sua narrativa:

  • Personagem: presente em toda história, mesmo que não esteja explícito. Quando se produz um conteúdo, cria-se uma história em torno desse personagem. Geralmente, em uma estratégia de Marketing de Conteúdo, o personagem estará ligado às personas que foram identificadas.
  • Conflito: o conflito ou drama é o que conectará seu público com aquela história. Pode ser um problema próximo específico daquilo que seu público está passando naquele momento. Ou, ainda, uma atitude que impede o bom desempenho do personagem.
  • Resolução: o personagem, no final, deverá enfrentar esse conflito e resolvê-lo. É aqui que o conteúdo pode finalizar com um CTA relevante. Com o público envolvido pela história, as pessoas tornam-se mais propensas a partirem para a ação,

Além disso, a forma como esses elementos são apresentados no seu storytelling faz diferença. Portanto, estabeleça a história por trás da marca, a linguagem e os tipos de histórias mais relacionados à sua persona. Lembre-se de que a comunicação não é uma via única. Seus próprios leitores são protagonistas de histórias que talvez já estejam sendo contadas pelas mídias sociais. Então, saiba integrá-las.

Considerações finais

Construir storytelling é parte de um processo orgânico. Mesmo trabalhando cada elemento, a reação positiva ou negativa de seu público faz diferença. A produção de conteúdo precisa contar histórias que cativem o público. Para isso, é preciso primeiramente conhecer as necessidades da persona a qual o conteúdo se direciona.

A relação entre as necessidades do público e a essência da solução oferecida não deve ser ignorada. Boas histórias têm o poder de vender. No entanto, para criar storytelling, é preciso entender sentimentos, motivações, ações e comportamentos. Em suma, saiba como surpreender seu leitor e fazê-lo se sentir incluso em sua história.

Compartilhe com seus amigos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Deixe seu comentário

COVID-19: Dicas para ajudar seu negócio a atravessar tempos de crise. Saiba mais.

Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site, plataforma e em serviços de terceiros parceiros. Ao navegar pelo site, você autoriza a PostSpot a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.